Browsing Tag

Amigas

Memórias

Minha Formatura

Hoje na série “Memórias” quero contar sobre a realização de um sonho: A minha formatura. Quando eu venci uma das maiores barreiras da minha vida. Espero que vocês gostem e acompanhem.

 

A Expectativa

 

Lembro da minha formatura como se fosse hoje. Para mim, ela nunca teve um defeito. Foi perfeita. Falei para mim mesma que eu teria que estudar o dobro para passar em todas as matérias que ainda faltavam e terminar meu curso.

 

Formei com meu “quarteto fantástico”. No ultimo semestre não eu ia em todas reuniões com elas, pois eu não estava fazendo todas as matérias. Para mim só faltavam quatro: Pratica Jurídica 2, Direito Processual civil 4, Direito civil 3 e Direito do Consumidor.

 

Passei direto em 3 delas e fiquei rezando para a última, porque eu precisava passar de qualquer jeito. Eu já estava sonhando com minha formatura. Até os convites já estavam quase prontos. Lembro até que tive que fazer outra prova de direito processual civil 4 para recuperar. E o professor não quis corrigir na hora, falando que só iria liberar as notas dois dias depois. Como eu não aguentei de ansiedade, liguei no mesmo dia para ele. Ele falou para mim que já tinha colocado as notas no sistema do aluno.

 

Tentei acessar pela minha internet só que não estava funcionando. Fui parar lá na faculdade de novo. E a nota que eu precisava tirar nessa prova era 5. Quando cheguei na faculdade, o rapaz que me atendeu olhou para mim e para a minha ansiedade e me deu a melhor notícia que eu poderia ouvir naquele dia: eu tinha tirado 5.1. Ufa! Que alívio! Que alegria! Passei raspando e finalmente poderia concluir meu curso de Direito.

 

O início das comemorações

 

A ficha não caía! Até que no dia 31 de julho 2009, foi realizada minha colação de grão oficial. Neste dia, eu já me tornei Bacharel em Direito. Chique, não é?

 

A partir daí, foi só correria. Participando das festas de confraternização, mandando fazer o terno para as fotos dos convites, mandando convites para a calígrafa para pegar no outro dia, entregar todos eles. Mas o mais importante: eu queria ir atrás do cerimonialista da faculdade juntamente com o cerimonialista das festividades, para que minha mãe pudesse subir para pegar meu canudo junto comigo. Afinal, essa era uma conquista nossa! Foi tudo por ela e por causa do apoio dela.

 

Consegui falar com eles, e dadas as minhas circunstâncias, eles deixaram minha mãe subir junto comigo para pegar o canudo. Foi uma exceção, porque nos protocolos da minha faculdade, não deixavam ninguém subir junto com os formandos. Mas eu consegui dividir esse momento com ela.

 

As festividades

 

Minha formatura foi composta pela aula da saudade, colação de grau, culto ecumênico e o baile. Eu já estava tão ansiosa, que antes de saber se me formaria mesmo, já havia comprado o vestido para cada uma dessas cerimônias. Até meus acessórios para todas as festividades juntamente com os sapatos, aluguel de fantasias, etc.

 

A aula da saudade

 

Tudo começou pela Aula da Saudade. Ela foi realizada em um sítio muito bonito em Caldas Novas. Usei um vestido verde longo durante o bate-papo com os professores homenageados. Depois fomos para a piscina e ficamos curtindo um pouco.

 

Às 20h iria começar o nosso baile de fantasia. Foi muito divertido. As mulheres se vestiram de “melindrosas” e os homens de “cafetões”. Foi ótima a festa. Sem nenhum defeito que se possa lembrar.
Meninas vestidas de "Melindrosas" na festa à Fantasia.

Meninas vestidas de “Melindrosas” na festa à Fantasia.

Colação de Grau

 

No outro dia foi realizada minha Colação de Grau. Já estava tudo preparado para minha mãe pegar o canudo junto comigo. Na hora do ensaio, somente quem sabia da surpresa eram os cerimonialistas.

 

Cheguei no Centro de Convenções de Goiânia às 5h da tarde para acabar de arrumar e tirar fotos. Fui de vestido preto com uma fita para trás, meia calça preta, sapato preto, brincos de argola com strass, cabelo semi preso e minha mãe com um terno marrom. Estávamos lindas. Lembro-me como se fosse hoje.

 

A cerimônia começou e pediram para minha mãe se levantar quando me chamassem. Ela iria ao meu encontro. Não deu muito certo esse momento. Na hora em que me chamaram ela demorou um pouco para entender que eu queria dividir esse momento com ela e demorou para subir, mas na hora em que cheguei na mesa para pegar meu canudo, nós duas fomos. O reitor da faculdade não quis entregar para mim. Ele deu nas mãos da minha mãe e foi das mãos dela que recebi o símbolo de uma das maiores vitórias da minha vida.
Eu e minha mãe na formatura.

Eu e minha mãe na formatura.

Aí já é de se imaginar o “chororô” da minha família e dos outros formandos. Todos gritando o meu nome. Nunca irei esquecer a música desse dia: Dias Melhores, do Jota Quest. Foi tudo perfeito, acho que nunca conseguirei esquecer cada momento de felicidade que tive.
Um dos momentos mais felizes da minha vida.

Um dos momentos mais felizes da minha vida.

Depois disso, ainda vestimos a beca para tirar algumas fotos individuais, algumas com os professores homenageados e o professor homenageado com o nome da turma, etc.

 

O culto Ecumênico

 

Jé o culto ecumênico aconteceu em uma igreja de Goiânia. Eu sempre chegava mais cedo. A cor do nosso vestido para essa cerimônia era vermelho bordô e os meninos com uma gravata da mesma cor. Nao é por nada, mas o meu vestido era chiquérrimo e, de acordo com as palavras do cerimonialista, um dos mais bonitos.

 

No começo do culto, fui a primeira a entrar e foi muito lindo. Ao som de um coral, tivemos as homenagens de um pastor, de um padre e de um integrante do centro espírita. Fizemos também as homenagens para os pais e professores, aos bachareis em direito e também à nossa querida Michelini, colega nossa que faleceu durante o curso.

 

Na parte do ofertório, eu participei levando um canudo para demostrar a nossa dignidade e compromisso com o curso que fizemos. No final, todos foram cumprimentados no salão de festa da própria igreja. Minha família estava sempre unida e muito alegre.
Minha Família sempre unida e alegre.

Minha Família sempre unida e alegre.

O Baile

 

Chegando o grande dia do baile, fui com um lindo vestido lilás, sapato preto, cabelo todo preso com estrelinha de strass. Minha mãe foi com um belo vestido vermelho.

 

Tive que chegar antes para tirar algumas fotos sozinha, com familiares e com outros formandos. Meu tio foi convidado para dançar a valsa dos pais, meu cunhado para dançar a metade da segunda valsa e para o grande final chamei meu sobrinho para terminar a segunda valsa.

 

Todos os formandos brindaram com champanhe e eu com guaraná, pois não posso beber álcool de espécie nenhuma, por causa do meu tratamento. Ficamos festando até quatro horas da manhã. Foi maravilhoso.
Eu e meu lindo vestido do baile.

Eu e meu lindo vestido do baile.

O que ainda está por vir

Um momento inesquecível.

Um momento inesquecível.

Minha formatura será inesquecível para mim. E relembrar desse grande sonho realizado, desperta a minha vontade de vencer todos os desafios que ainda virão.
Ainda não passei na OAB. Já tentei 3 vezes. Mas quero deixar bem claro que eu ainda não desisti de ser uma futura promotora de justiça. Quando isso acontecer, não irei deixar meu blog de lado, e sim irei conciliar os dois.

 

 

Nunca irei esquecer desse sonho realizado, por mim e por minha família que sempre me ajudou, principalmente com minha grande amiga de todas as horas: a minha querida mãe. Mas também nunca vou deixar de lutar pelos sonhos que ainda tenho.

 

É isso, gente. Espero que essa história encoraje vocês a lutarem pelos sonhos de vocês e a nunca desistirem. Até o próximo post. Não esqueça de curtir a minha Fan Page!